quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Sem Querer

(Gabrinha da Cuíca)

...sem querer
  O meu braço esbarrou no seu braço
  Os seus olhos olharam nos meus olhos
  E ficamos parados.

...sem querer
  Os meus lábios beijaram os seus lábios
  O seu corpo ficou junto ao meu
  E ficamos colados.

...sem querer
  Minhas mãos deslizaram no seu corpo
  Os seus dedos abriram meus botões
  Sem querer nós estávamos nos amando.

...sem querer
  Acordei no outro dia no seu quarto
  Bem depressa me vesti e saí de mansinho
  Para não lhe acordar.

...sem querer
  Nunca mais eu voltei a lhe ver 
  Só agora fiquei a saber
  Que de AIDS você vai morrer.

...sem querer
  Lhe passei a doença, sem querer
  Muito embora eu não esteja a morrer
  Meu amor! e a morte... sem querer.