segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

MINHA CONSCIÊNCIA É MINHA RELIGIÃO

Makulè

Ultimamente ando pensando muito sobre uma série de coisas que veem acontecendo nesse mundo louco.
Mundo esse chamado por uns de moderno, por outros de contemporâneo ou ainda pós moderno. Uma das coisas que me chamam a atenção é o que se vê como “religião”. Uma religião que só fala em demônios, ameaça, exclui àquelas que não pertencem a mesma linha de crenças. E já que tocamos na palavra crença, há de se entender quer crer não necessita de provas, Em assim sendo é apenas a forma de Deus está presente em nossas vidas e em cada momento dela. Por isso, tem que se ter muito cuidado com tudo isso e é sempre necessário separar o joio do trigo.
Talvez não me tenha expressado de maneira muito compreensível, mas vejamos de uma outra forma. Há circunstâncias na vida que nãosabemos o que ou como explicar um determinado fato. Para isso chamamos de milagre, que significa uma interseção de algum espírito que nos favorece de alguma forma. Mas, há determinadas situações, que o teatro faz parte e, mesmo nada sendo ou acontecendo, a histeria coletiva permite o enxergar de algo inexistente. Isso porque com o aproveitamento direcionado para a mistura da crença com um verdadeiro espetáculo. Nessa complexa composição, no meu entendimento, a figura de Jesus Cristo é comercializada de maneira bárbara e insistente. Mas os responsáveis por isso, que possuem grande capacidade de convencimento e aproveita-se da emoção do momento ou de um dado momento, sabem exatamente o que estão fazendo: pedindo para si próprio, através das chamadas preces poderosas e curas milagreiras.
Por tudo isso, a cada dia, continuo afirmando que a minha fé é a  minha consciência e desta sou escravo. E, por isso mesmo, acredito que onde estou, estou muito bem, com poucas dúvidas e muitos sorrisos no conjunto da minha fé.